CUIABÁ

TECNOLOGIA

WhatsApp enfim prepara função para impedir que conta seja roubada

Publicados

TECNOLOGIA

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança
Unsplash/Mourizal Zativa

WhatsApp cria nova ferramenta de segurança

Os golpes para roubar contas do WhatsApp podem estar com os dias contados. A equipe do mensageiro está preparando uma opção para impedir que a linha seja tomada depois que o usuário oferece o código de seis dígitos enviado via SMS a criminosos depois de receber uma oferta falsa. É o que conta o WABetaInfo.

O recurso deu as caras na versão 2.22.17.22 do WhatsApp Beta para Android. Trata-se de uma notificação para aprovar a transferência da conta para um smartphone diferente, caso alguém solicite a migração em outro aparelho. Assim, será possível impedir que o número seja roubado por golpistas.

O alerta vai aparecer no celular conectado à conta logo após a solicitação da troca. Quando alguém digitar o código de seis dígitos para comprovar a autenticação, o app irá emitir a notificação “Permitir mover sua conta do WhatsApp para outro telefone?”. Em seguida, haverá opções para confirmar ou recusar a transferência.

O aviso ainda dá detalhes extras sobre o processo. Além da hora do pedido, será possível saber o modelo do aparelho usado para receber a conta. Assim, caso a mudança seja legítima e não fruto de um golpe, o usuário também consegue saber se a transferência está sendo realizada de fato para o seu novo smartphone.

Leia Também:  Twitter é multado em US$ 150 milhões por usar dados sem consentimento

WhatsApp: função pode impedir roubo de contas

O recurso é bem simples, mas tende a dar muitos frutos. Afinal, golpistas se aproveitam de contas que não usam a autenticação em duas etapas para tomá-las à força. E boa parte desses golpes estão relacionados a “ofertas” vantajosas às vítimas, como promoções, sorteios, entre outros.

Um exemplo foi quando golpistas usaram contas falsas do Instagram para oferecer alguma vantagem. Mas, após a solicitação de alguns dados pessoais, como o nome completo e número do celular, os criminosos pediam o código de seis dígitos do WhatsApp enviado por SMS.

E aí não tinha mais jeito: ao oferecer o código, a conta é invadida e os criminosos usam a linha para dar golpes em conhecidos da vítima.

Com a nova função, o mensageiro terá uma camada extra de proteção. Afinal, caso o código seja oferecido aos golpistas, a autenticação só terá sucesso se a vítima aprovar a migração no seu celular. E, caso o usuário toque em “Recusar”, os criminosos não terão acesso à conta, pois o processo será interrompido.

Leia Também:  WhatsApp: usuários reclamam de instabilidade nesta terça-feira

A má notícia é que a função ainda não está disponível aos usuários. Todavia, você já pode garantir uma proteção extra à sua conta ao ativar a autenticação em duas etapas do WhatsApp. Neste caso, mesmo com o código em mãos, os golpistas vão precisar de uma senha para confirmar a autenticação durante a migração.

Fonte: IG TECNOLOGIA

COMENTE ABAIXO:
Propaganda

TECNOLOGIA

Instagram processa empresas que vendem curtidas e seguidores

Publicados

em

Por

Instagram processa empresas brasileiras
Unsplash/Kate Torline

Instagram processa empresas brasileiras

Pela primeira vez, a Meta e o Instagram estão processando empresas no Brasil por venderem curtidas, seguidores e visualizações falsas na rede social. As ações judiciais foram abertas em São Paulo na última semana.

As empresas vendiam o que é conhecido como “engajamento falso”, oferecendo a possibilidade de usuários pagarem para ter mais curtidas e seguidores no Instagram. De acordo com a Meta, isso viola os Termos de Uso da rede social, além de ferir a legislação brasileira.

“Além de entrar com duas ações na justiça, desativamos contas e enviamos notificações extrajudiciais para mais de 40 empresas localizadas no Brasil que ofereciam serviços semelhantes de engajamento falso para Facebook e Instagram”, afirma Jessica Romero, Diretora Jurídica da Meta. “Estamos buscando ordens judiciais para banir permanentemente os réus de usar nossas plataformas”.

As empresas processadas são a MGM Marketing Digital LTDA e a Igoo Networks Eireli Me, que ofereciam serviços com nomes como InstaBrasil, InstaCurtidas, SMM Revenda, Seguidoresgram e Seguidores Brasil. Os acionistas das empresas também estão sendo acusados nas ações.


Fonte: IG TECNOLOGIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

MATO GROSSO

POLÍCIA

MAIS LIDAS DA SEMANA